HISTÓRIA DO MUNICÍPIO DE FILADÉLFIA

A primeira penetração no município deu-se em 1.917, por Filadélfio Antonio de Noronha, que na margem esquerda do rio Tocantins iniciou a formação da primeira fazenda de criação de gado vacum e cavalar, sucedida por várias outras no decorrer dos anos, povoando a região.

         No ano de 1.919, já existia na região o Posto Fiscal dos Paulas, Porto Fluvial, ponto de escoamento dos produtos deste Estado para o do Maranhão, o qual passou a ser dirigido por Otaviano Pereira de Brito que ali fixou residência, atraindo várias famílias para o local, iniciando-se a formação de arraial, cujas primeiras moradas eram cabanas cobertas de folhas de babaçu.

         Sua primeira e definitiva denominação foi “Filadélfia”, em homenagem ao pioneiro desbravador, registrando-se como grande colaborador do progresso local o Sr. Filadélfio Antonio de Noronha. Posteriormente passou à condição de Vila, ou distrito, pertencente ao município de Boa Vista do Tocantins (atual Tocantinópolis), não existindo nenhum registro do acontecimento.

         A vila de Filadélfia teve como Subprefeito as seguintes autoridades: de 1.933 a 1.945,  Francisco Furtado; de 1.945 a 1.948, Cândido Valadares Nolêto, Dotorveu Maranhão Machado, Miguel Souza Santos e Maria Cleófas Sousa Maranhão.

Pela Lei estadual nº 154 de 8 de outubro de 1.948, o distrito de Filadélfia foi elevado à categoria de município, instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1.949.

         Gentílico: “Filadélfienses”.

Após a elevação à categoria de Cidade e instalação do município em 1º de Janeiro de 1949, ocasião em que foi nomeado e empossado o primeiro Prefeito Municipal, Sr. Dotorveu Maranhão Machado, que governou o município de 1º de Janeiro de 1.949 até Abril do mesmo ano.

A partir desse momento verifica-se a ocorrência de eleição para escolha do seu primeiro prefeito constitucional em 30 de Abril de 1.949, saindo eleito o Sr. Raimundo Franco de Sousa.

 

Desse momento até a presente data a cidade de Filadélfia teve como ex-prefeitos as seguintes autoridades:

Ex-Prefeitos: Dotorveu Maranhão Machado, Raimundo Franco de Souza, Adeuvaldo de Oliveira Moraes, Adailton de Oliveira Moraes, Manoel Gonçalves de Alencar, Lindolfo Bento Pereira, Wilson Martins de Castro, Ivanilzo Gonçalves de Alencar, Jose Bento Fragoso, Pedro Iram Pereira Espírito Santo, Gilmar Aires Fragoso, Carlos Martins Carneiro de Araújo (1º interventor), Sebastião Dias da Silva (2º interventor) e Capitão Manoel Tavares Filho (3º interventor), Cleber Gomes do Espírito Santo, Edenilson da Silva e Sousa, ( Ivanilzo Gonçalves de Alencar -  Atual prefeito).

Cidade fronteiriça com Carolina (MA), separada pelo rio Tocantins, Filadélfia fazia parte da rota fluvial que ligava as cidades do sul de Goiás com a região Norte do país. Neste sentido, uma passagem marcante em sua história foi a instalação de um Posto Fiscal para arrecadação de impostos na região, conhecido por Porto das Paulas, em 1.919.

Em 5 de Outubro de 1.988, o município de Filadélfia passa a pertencer ao território do estado do Tocantins, face a criação desse mesmo estado.

O município conta com várias regiões, distritos e vilarejos, tais como a região da Barraria, o distrito de "Bielândia", e os vilarejos "Canabrava", e "Rodeador".

No interior do município está localizada a Reserva Estadual das Árvores Fossilizadas, que apresenta o maior número de árvores petrificadas já descobertas no planeta, 270 milhões de anos.

Em 2011, parte do município, foi atingida pela formação do Lago da Hidrelétrica de Estreito, represa está formada no Rio Tocantins, a partir cidade de EstreitoMaranhão onde o responsável pelo empreendimento é o consórcio (CESTE).

Base econômica do município: é agropecuária, além da produção mineral, pois Filadélfia é grande produtora de gesso.

Festas populares: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Santos Reis, Festas Juninas.

Padroeira: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Aniversário da cidade: 10 de Outubro.